violência

CONDENADO POR VIOLÊNCIA DOMESTICA EX-DIPLOMATA CUMPRIRÁ PENA EM REGIME SEMIABERTO

A Justiça do Rio de Janeiro condenou por violência doméstica o empresário e ex-diplomata Sérgio Schiller Thompson-Flores a três anos em regime semiaberto no processo das agressões à ex-mulher, a atriz Cristiane Machado. A defesa do ex-diplomata disse que os fatos foram manipulados e que ele vai recorrer da sentença.

O caso se tornou público em novembro de 2018, com exibição das imagens da agressão no Fantástico. Em outubro, ele foi acusado de agredir a atriz, com quem era casado, com socos, tapas e tentativa de enforcamento.

Condenação por  Violência Doméstica

O ex-diplomata Sérgio Schiller Thompson-Flores foi preso em novembro do ano passado, mas aguarda julgamento cumprindo medidas cautelares com o uso de tornozeleira eletrônica.

Os advogados do ex-diplomata negaram as agressões ao Fantástico. Eles alegaram que os vídeos haviam sido editados e que o casal conviveu em harmonia entre setembro e outubro.

Na decisão, a juíza Luciana Fiala de Siqueira Carvalho, do 5º Juizado de Violência Doméstica, refutou a tese da defesa.

“Entendo que a autoria da violência doméstica e a materialidade do delito de lesão corporal restaram comprovadas pelo laudo de exame de corpo delito acostado aos autos e pelos depoimentos prestados em juízo”, escreveu.

Em nota, Sérgio Schiller Thompson Flores disse que vai “lutar em todas as instâncias” contra a decisão. Segundo ele a “decisão é absolutamente estarrecedora, pois ignora os fatos e as provas apresentadas pela defesa, muitos dos quais foram respectivamente ignorados ou retirados do processo sem qualquer justificativa legal”.

Ainda segundo o ex-diplomata, “esse é um caso chocante em que o linchamento público afeta diretamente o julgamento e contribui para a uma sentença absurda, baseada em uma denúncia de cárcere privado por trancar as portas de uma casa em que por dentro as portas abrem com trinco; que se vale de vídeos editados e adulterados, cúmplices que monitoravam as câmeras por meses durante os quais ela me agredia, extraindo dois minutos e meio de minhas reações”.

Já advogado Rafael Faria, que defende Cristiane, disse que “a condenação do réu faz desse processo um grande emblema para as mulheres vítimas do machismo e das relações abusivas. A Cristiane é vítima disso tudo.”

Multa e indenização

Thompson-Flores ainda teria que arcar com multas por quebra do contrato de casamento.

Assinado em 31 de julho de 2018, o contrato de casamento de Cristiane e Thompson-Flores dizia que, se uma das partes usasse violência física, psicológica, sexual ou material contra a outra, deveria pagar multa de R$ 400 mil, mais uma indenização de danos morais equivalentes a 200 salários mínimos no valor vigente na época da quebra de contrato.

Em janeiro desse ano, a juíza Rafaella Avila de Souza Tuffy Felippe, do 50ª Vara Cível do Rio de Janeiro, condenou o ex-diplomata Sergio Schiller Thompson-Flores a pagar indenização de R$ 1, 2 milhões a Cristiane Machado.

Atriz instalou câmeras

Segundo Cristiane, as agressões teriam começado antes mesmo de se casarem e que, por medo, instalou câmeras no quarto. As imagens gravadas durante cerca de três meses foram divulgadas pela TV Globo.

Além dos vídeos, na reportagem a atriz mostrou fotos de seu corpo com hematomas após as brigas e disse que Thompson-Flores a ameaçava com uma faca e dizia que mataria toda a sua família em áudios.