MERCADORIAS SEM NOTA FISCAL AVALIADAS EM 400 MIL SÃO APREENDIDAS ESCONDIDAS EM BAGAGEIRO DE VEÍCULO

Na tarde desta quarta-feira (11), um carregamento de mercadorias contendo eletrônicos foi apreendido pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), na BR-153, em Uruaçu, norte de Goiás. Todo o material foi avaliado em R$ 400 mil e estava em um ônibus de turismo que seguia de São Paulo para São Luís (MA).

O ônibus contava com 38 passageiros e foi parado durante uma vistoria no veículo.

Mercadorias Apreendidas

Os policiais rodoviários federais encontraram no bagageiro cinco grandes caixas. Nelas havia telas para celulares, iphones, fones de ouvido do tipo headset, caixas de som e carregadores para celulares.

Nenhum dos ocupantes do coletivo assumiu a propriedade das mercadorias. Segundo o motorista, todas os eletrônicos foram encomendados por comerciantes da capital maranhense.

Além disso, todo o carregamento não tinha notas fiscais. Ainda assim, estima-se que esteja avaliado em aproximadamente R$ 400 mil as mercadorias apreendidas.

Por fim, as mercadorias foram lacradas e serão encaminhadas à Receita Federal. O ônibus com os passageiros foi liberado para prosseguir viagem.

Além da apreensão de materiais eletrônicos, 27 toneladas de insumos agrícolas foram apreendidos em Rio Verde

Insumos Agrícolas Apreendidos

A Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) apreendeu 27 toneladas de insumos agrícolas, em Rio Verde. Após denúncia anônima, realizada na manhã desta terça-feira (10/3), dois indivíduos foram presos após descarregar um caminhão cheio com os fertilizantes, e transferir a carga para outro. Os dois homens confessaram que estavam desviando a carga.

Inicialmente, foi encontrado com eles 21 toneladas de insumo agrícola, no caminhão. Após conversa com a PMGO, o proprietário do caminhão assumiu que a mercadoria estava sendo armazenada na sua própria casa. Lá foi encontrado um estoque de cerca de 126 sacos de fertilizantes, ou seja, aproximadamente mais 6 toneladas.

Além disso, foram encontrados aproximadamente 180 litros de óleo diesel. Segundo o motorista do caminhão, ele adquiriu pelo valor de 2 reais o litro, acreditando também ser produto de furto.

O esquema funcionava da seguinte maneira: um dos homens pegava o frete no valor aproximado de R$ 500,00 reais. Apesar disso, todas as vezes, com o apoio do segundo homem, retirava o lacre, sem rompe-lo, subtraindo certa quantia da carga e estocando em casa, repassando posteriormente pelo valor de R$ 50,00.