SUSPEITO DE ESTUPRAR E AMEAÇAR ADOLESCENTE É LIBERADO POR FALTA DE PROVAS

Conduzido à delegacia por ser suspeito de estuprar e ameaçar um garoto de 16 anos, na madrugada de segunda-feira (22), em Cuiabá, Waldeir Pinto de Moura, 27 anos, foi liberado no mesmo dia. A justificativa, de acordo com a Polícia Civil, é de que não havia provas suficientes para que o homem fosse preso em flagrante.

O homem foi detido no bairro Jardim Industriário II, na Capital. Na denúncia, a vítima relatou que estava sendo obrigado, sob ameaças, a fazer sexo com Waldeir. O suspeito teria também ligado para a irmã da vítima e ido à casa do adolescente para tentar falar com o jovem. Ao perceber a movimentação, a mãe do garoto chamou a Polícia Militar que levou Moura à Central de Flagrantes, no bairro Verdão, na Capital.

Liberado pela Policia

Na unidade, Waldeir foi ouvido por um delegado e, em seguida, foi liberado pela autoridade policial. A justificativa seria de que não havia “elementos” (ou provas) suficiente para manter o homem preso.

“Na ocasião da condução desse suspeito à Central de Flagrantes, não houve autuação pelo fato de não haver elementos para prisão em flagrante. Ele foi ouvido e liberado”, diz parte da nota encaminhada pela Polícia Civil.

Por outro lado, a assessoria de imprensa da instituição informou que um inquérito foi instaurado para investigar a denúncia contra Waldeir. Os trabalhos serão comandados pelo delegado Wagner Bassil da Delegacia Especializada de Defesa da Criança e do Adolescente.

“O caso foi encaminhado à Delegacia Especializada de Defesa da Criança e do Adolescente (Deddica) que, diante da nova denúncia de ameaça, assédio e estupro praticada pelo suspeito, instaurou novo inquérito policial contra ele”, relata outra parte da nota.

Suspeito de Estuprar Adolescentes

Em matéria publicada, consta que Waldeir é investigado pela Deddica por ter, supostamente, estuprado mais de 50 garotos em Cuiabá, em um período de dois anos.

Além disso, o homem já foi preso três vezes suspeito de estuprar e aliciar garotos. Mesmo com essas passagens criminais, Waldeir encontra-se em liberdade.

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito usa a internet para atrair as vítimas. Os agentes informaram que o homem criou uma conta fake no Facebook se passando por uma adolescente. Ao conseguir contato com os garotos, Waldeir começava a pedir fotos dos meninos nus.

Depois de receber os “nudes”, Waldeir marcava encontro com as vítimas se passando por mulher. Se no local combinado, o garoto desistisse do encontro, o suspeito ameaçava expor fotos nuas da vítima na internet.