DELEGACIA DE CRIMES CONTRA CONSUMIDOR FAZ APREENSÃO DE 5 MILHÕES EM PEÇAS AUTOMOTIVAS FALSIFICADAS

A Delegacia de Repressão a Crimes Contra o Consumidor (Decon) apreendeu nesta quarta-feira (27/11) mais de R$ 5 milhões em peças automotivas falsificadas, em Goiás.

A operação é a maior de combate à falsificação de peças automotivas do ano de 2019 no Brasil, e aconteceu no município de Itapuranga, a cerca de 165 quilômetros de Goiânia.

Durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão, na empresa sediada em Itapuranga, foram encontradas e apreendidas mais de 100 mil peças automotivas supostamente falsificadas. O valor de toda mercadoria apreendida supera R$ 5 milhões.

O dono da empresa deve responder criminalmente pela prática de crime contra as relações de consumo e crime contra a marca.

Conforme informações extras repassadas pelo delegado titular da Decon, Gylson Mariano, segundo Rodolpho Ramazzini, da Associação Brasileira de Combate à Falsificação, o setor de auto-peças é o segundo que mais perde com a pirataria. Em primeiro lugar está o setor de cigarros.

De acordo com a PC, a perda em arrecadação tributária para o estado é de cerca R$ 8 bilhões por ano no Brasil.

Prisão por Crimes de Falsificação de Documentos

Além da apreensão da Decon de mais de R$ 5 milhões em peças automotivas falsificadas, PC prendeu homem que falsificava documentos veiculares, em Goiás

A Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) prendeu um homem, identificado como André Rosa de Freitas, considerado o maior falsificador de documentos veiculares, em Goiás.

Além da prisão, a corporação desarticulou um laboratório de falsificação de documentos veiculares. No local foram encontrados Certificados de Registro de Veículo (CRV) e Certificados de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV), todos em branco.

Além disso, alguns documentos já preenchidos indevidamente e maquinário utilizado na falsificação foram encontrados no local por policiais civis.

Segundo a corporação, André Rosa de Freitas é apontado como um dos maiores falsificadores do Estado de Goiás.

Ainda de acordo com a corporação, André Rosa de Freitas responderá pelos crimes de receptação dolosa e falsificação de documento público.

A Polícia Civil segue com a investigação com o objetivo de identificar mais pessoas que estejam envolvidas com falsificação de documentos veiculares em Goiás.