FALSIFICADORES DE CERVEJAS SÃO ALVOS DA POLÍCIA CIVIL

Uma quadrilha especializada em falsificar rótulos de cerveja foram presas ontem em Mogi das Cruzes. Segundo a Polícia Civil os investigados estavam trocando as tampas e os rótulos de marcas de cervejas mais conhecidas por outros de qualidade inferior. Os envolvidos foram presos sob acusação de crime contra a saúde pública.

A descoberta foi feita na tarde de anteontem, quando agentes do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais) procuravam um depósito que seria usado para armazenamento de carga roubada.

Ao notar movimentação em um galpão, os investigadores cercaram o local e adentraram no estabelecimento onde foi constatado que a principal atividade da organização criminosa era adulteração de cervejas. Segundo os investigadores as tampas de marcas mais conhecidas colocadas nas garrafas eram compradas de pessoas que as pegavam em lixões da cidade.

Segundo o Advogado Criminalista Enderson Blanco em entrevista ao portal G1 da Globo os acusados devem responder pelos crimes tipificados no artigo 272 e parágrafos do Código Penal, além de crimes contra as relações de consumo consubstanciados na Lei 8137/90. Afirmou que apesar de se tratar de uma prática criminosa que coloca em risco a saúde dos consumidores e lesa o sistema tributário com o não recolhimento dos impostos, os fatos precisam ser muito bem investigados e comprovados os riscos a saúde pública dos consumidores, pois a simples adulteração dos rótulos e das tampas de garrafas, sem a combinação da adulteração da própria cerveja, apenas induz o consumidor em erro, já que na essência não se está falsificando o produto.

O esquema segundo a polícia, dava um ganho de 100% por garrafa. Agora, a polícia apura como funcionava a distribuição.

Somente neste ano, esse foi o segundo caso de falsificação de cerveja descoberto na região em dois meses. No final de julho, policiais flagraram outro galpão, desta vez em Itaquaquecetuba, onde se fazia o mesmo tipo de adulteração.