PRESIDENTE DA CÂMARA DE GUARINUS É PRESO COMO SUSPEITO DE PRATICAR ABUSO SEXUAL CONTRA MENORES

O presidente da Câmara Municipal de Guarinos, Adilsso Teodoro da Silva, foi preso nesta terça-feira (4) suspeito de praticar abuso sexual com duas menores, de 12 e 13 anos de idade.

Suspeito de Praticar Abuso Sexual

O vereador, de 61 anos, é dono de uma farmácia. Segundo a Polícia Civil, ele cometia os abusos em um cômodo nos fundos do estabelecimento, comumente usado para aplicação de medicamentos. “Ele pagava os favores sexuais com dinheiro e até remédio”, disse o delegado Fábio Mendanha Castilho.

Segundo as investigações, os crimes contra as duas adolescentes, de 12 e 13 anos, aconteciam desde dezembro do ano passado. O delegado explicou que o vereador levava as vítimas até um cômodo para aplicação de medicamentos e cometia o estupro. “Ele pagava com dinheiro, às vezes R$ 30, e remédios”, disse.

O delegado explicou que, em depoimento, Adilsso negou o estupro e disse que apenas fez um atendimento comum à adolescente, que o procurou com dor de garganta. À polícia, o vereador contou ainda que a denúncia tem cunho político, já que ele será candidato nas próximas eleições.

Prisão Temporária

Conforme Castilho, a Justiça expediu mandado de prisão temporária por 30 dias porque o vereador e outro investigado teriam procurado o Conselho Tutelar e questionado sobre a investigação. “Gerou a suspeita de que eles poderiam estar fazendo algum tipo de pressão em relação à investigação”, explicou. Aparelhos celulares também foram apreendidos na operação.

A defesa do vereador preso diz que as acusações são “inverídicas e as denúncias provavelmente têm cunho político-partidário”

Comerciantes Investigados por Abuso Sexual

Ainda de acordo com as investigações, o outro comerciante da cidade suspeito dos estupros também agia da mesma maneira, oferecendo dinheiro às meninas e cometendo os abusos. Segundo a polícia, um advogado disse que o homem deve se apresentar para prestar esclarecimentos ainda essa semana.

“Outros dois donos de mercados e dois maiores são suspeitos de estupro e serão investigados. Um deles já procurou a delegacia e disse que teve relação com uma das menores, mas que não houve pagamento e que foi consentido. Mas, mesmo assim, isso configura crime de estupro de vulnerável, pois envolve menores de 14 anos”, disse o delegado.

O caso foi descoberto após a irmã de uma das adolescentes desconfiar por ela chegar em casa com dinheiro e medicamentos, sendo que a família é carente. Além disso, ela relatou que, quando era mais nova, também recebeu ofertas do vereador preso para ter relações com ele em troca de dinheiro. Ela, então, denunciou o caso ao Conselho Tutelar da cidade, que levou o caso à polícia.

Crime de Exploração Sexual de Menores

O vereador preso e o comerciante foragido podem responder por estupro de vulnerável e exploração sexual de menores. Somadas, as penas chegam a 25 anos.

Segundo o delegado, as meninas são pessoas carentes, em situação de vulnerabilidade social. “Gastavam o dinheiro com comida e maquiagem”, afirmou o delegado.

O vereador foi conduzido à delegacia de Itapaci, onde foi o interrogado e posteriormente conduzido à unidade prisional da cidade.