Skip to content Skip to footer

O que é Acusação de Crime de Tortura

O QUE É ACUSAÇÃO DE CRIME DE TORTURA?

A tortura é definida e criminalizada no Brasil pela Lei nº 9.455, de 7 de abril de 1997. Esta lei estabelece que o crime de tortura é punível com pena de prisão, variando em gravidade dependendo da natureza exata do crime.

De acordo com o Artigo 1º desta lei, o crime de tortura é definido como a prática de atos de violência ou grave ameaça, com o objetivo de obter informações, confissões, ou simplesmente para causar sofrimento físico ou mental a uma vítima. Isso inclui tortura para fins de detecção racial, social, religiosa ou qualquer outra forma de detecção.

Os crimes de tortura são considerados crimes hediondos, de acordo com a Lei nº 8.072/90. Isso significa que são crimes particularmente repugnantes aos olhos da sociedade, e por isso são tratados de forma mais severa pela lei penal. Crimes hediondos são inafiançáveis ​​e insuscetíveis de graça ou anistia, e a pena deve ser iniciada inicialmente em regime fechado.

Importante mencionar que a lei também define a tortura cometida por agentes públicos no exercício de suas funções ou a mando de superiores hierárquicos, com penas ainda mais graves, reforçando a inaceitabilidade deste tipo de comportamento no aparato estatal. A tortura praticada por agentes públicos também constitui uma violação dos direitos humanos, o que pode levar a uma responsabilização internacional do Brasil em certas circunstâncias.

Finalmente, a lei também define o crime de omissão no caso de tortura, em que um indivíduo em posição de autoridade não toma medidas para prevenir ou punir a tortura praticada por outros.

Em síntese, a tortura é um crime grave no Brasil, punido com penas severas e inafiançáveis, especialmente quando envolve agentes do Estado. A lei busca proteger os direitos fundamentais dos indivíduos, e sua violação tem disposições legais e, potencialmente, internacionais.