POLÍCIA FEDERAL COMBATE A FRAUDE CONTRA INSS

Jales/SP – A Polícia Federal, em conjunto com o Ministério da Previdência Social de São Paulo, deflagrou na segunda-feira (20) a Operação Zumbi que teve como objetivo prender indivíduos que aplicava golpe contra o INSS. Dois homens e uma mulher foram presos no interior e defronte agência bancária no centro da cidade de Jales. Eles sacaram R$ 11.000.

Há um mês a PF recebeu informações da inteligência do Ministério da Previdência informando sobre benefício de pensão por morte que seria pago em Jales com fortes indícios de fraude. As investigações demonstraram que uma mulher que residia em Caratinga/MG informou ao INSS endereços de Jales para sacar quantia que seria fruto de um golpe de falsa pensão por morte de seu marido.

Os criminosos criaram um contribuinte fictício (marido) e fizeram onze contribuições à Previdência com valores próximos ao teto. Posteriormente, o contribuinte (fictício) “morreu” e a golpista deu entrada no INSS com pedido de pensão por morte. Ela apresentou documentação falsa obtida em cartórios de MG atestando seu falso casamento e falsa certidão de óbito, além da documentação falsa do “morto”. A golpista também apresentou comprovantes de residência ideologicamente falsos para comprovar que residia em Jales e solicitou ao INSS que o benefício fosse pago na cidade, com o objetivo de dificultar possíveis investigações.

O INSS concedeu a pensão de aproximadamente 4.000 à golpista mediante a documentação falsa apresentada, porém, a própria Autarquia Federal identificou indícios de fraude e acionou a PF para que uma investigação fosse realizada. Nenhum funcionário do INSS foi identificado como colaborador dos criminosos. A documentação apresentada será alvo de investigação posterior visando identificar outros envolvidos. O valor sacado foi recuperado e os criminosos foram presos em flagrante.

Três pessoas foram presas em flagrante por estelionato e associação criminosa. Um veículo também foi apreendido com o grupo. Todos serão ouvidos e conduzidos para cadeias públicas da região onde permanecerão à disposição da justiça.